As 3 Estratégias Para Chegar Em Uma Mulher – Parte 1

0
37
como chegar em mulheres

Quer saber como chegar em mulheres?

O primeiro passo para fazer isso é saber que existem três estratégias básicas diferentes: abordagem indireta, abordagem direta e abordagem situacional.

Nessa série de três artigos, nós vamos falar de cada uma delas.

Cada uma dessas estratégias oferece probabilidades de sucesso diferentes e possuem as suas próprias vantagens e desvantagens.

Nesse primeiro artigo nós vamos falar da estratégia costuma deixar os caras mais tímidos pulando de excitação: a abordagem indireta!

animado para chegar em uma mulher

E também vamos deixar claro porque esses caras tímidos na verdade não deveriam ficar tão animados assim com ela.

“Hã?”

É… Sinto destruir os seus sonhos. Eu sei o quanto você é apegado a eles.

medo e chegar em mulheres
Chama Ela Pra Sair: o Game of Thrones dos sites de conselhos sobre como conquistar mulheres.

A Abordagem Indireta

chegar em mulheres de maneira indireta

Uma abordagem indireta significa chegar em uma mulher ou no grupo dela sob o pretexto de querer conversar, e não de “dar em cima” de alguém.

Exemplos de abordagens indiretas são:

“Oi gente, me ajuda aqui. Eu preciso de opiniões. O meu amigo tem uma namorada, e ele descobriu que ela ainda é amiga do ex dela. Na verdade, ela quer ir num show com esse cara. E aí, o que vocês acham?”

“Oi garotas, eu preciso de uma opinião feminina em uma coisa. Quem mente mais: homens ou mulheres?”

Daí, a partir do momento em que se estabelece a conversa em cima do tópico que você abordou, o objetivo é prolongar a interação e se estabelecer como o macho alfa, para atrair a mulher.

E só depois que a mulher dá sinais de estar atraída por você que você começa a flertar com ela, através de push-pull.

A estratégia de abordagem indireta foi a que ganhou mais destaque na “comunidade de sedução” gringa do final dos anos 90, que a defendia como a arma secreta para conquistar mulheres.

Isso foi de grande apelo para cara tímidos, por que a promessa era de que você poderia chegar em mulheres sem correr o risco de rejeição.

Afinal, se você não demonstra interesse na mulher, como ela poderia te rejeitar?

Bastaria chegar na mulher ou no grupo dela sob o pretexto de ter uma conversa divertida e, então, se a mulher em que você queria chegar não te desse bola, era só cair fora antes de demonstrar qualquer interesse nela.

Nenhum dano tomado! Tão simples, tão belo…

No entanto, rapidamente acabou ficando evidente que havia um pequeno problema com essa estratégia:

Abordagens indiretas não enganam ninguém.

A verdade é que não é muito natural você chegar do nada em pessoas que você não conhece e começar a falar com elas como se elas já fossem suas amigas.

A esmagadora maioria dos caras que tentam essa abordagem não conseguem parecer naturais, e fica óbvio para todo mundo que eles estão apenas tentando pegar alguém.

Tanto é verdade que mesmo um dos membros mais ilustres da Comunidade de Sedução americana acabou por expor esse problema.

O escritor Neil Strauss, que em certo ponto era considerado o maior “pegador” da comunidade, admitiu que técnicas como abordagens indiretas não enganam ninguém.

Numa entrevista para o site “The Guardian”, ele declarou:

“… A maior parte das mulheres é inteligente o suficiente para saber exatamente o que você está fazendo.

O que acontece é que elas talvez gostem de você o suficiente para deixar você seguir com a coisa…”

“… era uma coisa que tinha mais haver com ter medo de rejeição, e com superar isso. As técnicas serviam para fazer ele chegar lá. Não ela.”

Segundo Strauss, as técnicas da comunidade ajudavam alguns de seus membros não porque elas conquistavam mulheres, mas porque elas faziam os caras acreditarem que eles eram capazes de conquistar mulheres.

Ou seja: a ideia de que uma abordagem indireta é natural e de que ela impossibilita a rejeição não passa de um placebo.

Agora, isso não significa que essa abordagem é ruim.

“Heim? Mas você acabou de dizer que ela não engana ninguém!”

Sim, e de fato ela não engana. No entanto, isso não significa que você não seja capaz de atrair uma mulher chegando nela desse jeito.

Se você for carismático e confiante, e se você flertar com a intensidade certa, você pode muito bem conquistar a garota.

Claro, nem a mulher e nem as amigas dela vão ter alguma dúvida do que você está fazendo, mas isso na verdade não vai contar contra você.

Eu mesmo já testemunhei e também passei por várias experiências que provam isso.

Por exemplo: muito tempo atrás eu estava num bar/balada e resolvi chegar indiretamente em uma garota que estava num grupo de quatro pessoas: um cara com um jeito muito afeminado e três mulheres.

Eu dei a minha fala (uma pergunta de opinião bem esdrúxula) e o grupo respondeu de bom humor.

As coisas estavam indo bem, mas então, antes que eu conseguisse voltar a minha atenção para a garota que eu queria pegar, o cara me interrompeu dizendo:

“Tá, eu gostei de você. Qual delas você quer? Pode escolher!”

Todas as garotas riram.

cara de pânico de chegar em mulheres

Eu entrei em choque momentaneamente. Afinal eu não tinha muita experiência e um comentário desses é o suficiente para desconcertar qualquer um.

Mas ainda assim eu me recompus e, sem ideia melhor, fui simplesmente direto.

“Porra, fui descoberto!”, eu disse, fazendo o máximo para rir de um jeito confiante e não encabulado. Eu então virei para a garota que eu queria pegar e disse: “Você! Quer dar uma volta?”.

Para a minha surpresa ela aceitou e nós nos afastamos do grupo.

Mais ninguém na minha vida me deu uma cartada tão escandalosa quanto essa.

No entanto, ainda assim, várias garotas em quem eu cheguei indiretamente deixaram claro através de um comentário ou um tom de voz que sabiam o que eu estava fazendo.

Só eis que tanto a garota que me viu receber a cartada quanto várias outras que me demonstraram ter me “desmascarado” ainda assim quiseram ficar comigo depois.

Exato: mesmo tendo sido “descoberto” nesses casos, isso não fez com que elas achassem que eu fosse menos atraente.

E o fato de eu tê-las abordado de uma maneira indireta foi o que me permitiu interagir com elas tempo o bastante para que elas ficassem interessadas em mim.

Assim, eu não posso dizer que essa estratégia é realmente ruim, principalmente quando tanta gente ainda é adepta dela.

Eu, no entanto, não a uso mais hoje em dia.

Tal como o Strauss admitiu, são raras as vezes em que você consegue abordar uma mulher indiretamente de um jeito natural e convincente (os caras que acham que não estão se iludindo)

E, pessoalmente, eu não gosto de ficar passando por constrangimentos como os que eu descrevi, mesmo que no final as abordagens ainda deem certo.

Além disso, é simplesmente uma coisa que me deixa desconfortável ficar inventando pretextos para falar com mulheres.

É difícil se sentir autoconfiante quando você se vê reduzido a ficar inventando histórias para conhecer mulheres.

É por isso que o meu jeito favorito de abordagem é o que vou descrever no próximo artigo dessa série.

É uma estratégia de abordagem que acabou negligenciada por uma comunidade de pessoas que fazem de tudo para manter a ilusão de que chegar em mulheres é uma coisa que não precisa envolver riscos.

No entanto, é geralmente a melhor estratégia a se usar. Te vejo no próximo artigo.

Deixe uma resposta